Empresário pensativo sobre a economia da sua empresa

Economia empresarial: 16 dicas para não entrar em um cenário caótico – Parte 1

Quando se trata de economia empresarial, nem sempre é fácil apertar as rédeas para conter os custos.

E em meio a um cenário caótico como o da pandemia global, sua empresa pode sair do eixo.

Mas se você teme por correr tantos riscos neste momento, acabou de encontrar uma solução.

Uma não. Várias!

Saiba que a sua empresa pode seguir firme com um simples ajuste de contas, ou melhor, redução de custos.

E mesmo que os lucros da sua empresa estejam indo de vento em popa, a economia sempre ajuda qualquer empreendimento a permanecer nessa corrida.

Então, junte-se a nós neste artigo e tenha em mãos um compilado de vários cortes e ajustes que dá pra fazer para sua empresa não pisar no vermelho.

Que a crise econômica fique só lá fora. Venha conosco!

1. A economia começa com você medindo seus gastos

É extremamente importante saber para onde o seu dinheiro está indo, não acha?

E com a sua empresa, não é diferente.

Deixar rolar e cobrir gastos sem saber em qual direção sua empresa anda, é o mesmo que dirigir sem cinto de segurança.

Com isso, nossa primeira dica é: tenha registro de tudo!

Para facilitar ainda mais a sua vida neste quesito, você tem dois ótimos caminhos:

  • terceirizar o serviço, contratando um contador ou sistema de gestão empresarial;
  • fazer sua gestão própria usando aplicativos e sites como aliados.
Empresário usando laptop para ver sobre economia empresarial.

2. Crie um bom planejamento orçamentário

Calma, nem tudo está resolvido só porque você aderiu a primeira dica como um novo passo para economizar.

Além de medir os gastos é preciso criar um planejamento para que nada saia do limite.

Em outras palavras, você deve definir as metas do que são investimentos e custos.

O que é realmente necessário para que a sua empresa não peque com gastos irrelevantes e desproporcionais?

A sua atual realidade financeira é o que determinará até onde os gastos podem chegar.

3. Monitore constantemente o orçado e o realizado

De nada adianta fazer uma meta se você não acompanha se está atingindo ou não o que foi previamente estabelecido.

Basta ter em mente que, mesmo com uma gestão terceirizada e uma meta, é preciso acompanhar mês a mês para que tudo saia conforme o planejado.

Claro, sem o alcance da meta tudo o que você estará fazendo é “enxugar gelo”.

4. No seu planejamento, comece pelos custos de maior representatividade

Perceba que o efeito da redução vai trazer um maior impacto para o seu fluxo de caixa.

Dessa forma, fica mais fácil seguir cortando esses custos e cumprir com as metas do seu planejamento.

E na hora de comprar, não é diferente.

Comece a investir no que proporciona maior retorno do investimento, tanto em rapidez, quanto em um valor mais substancial.

O produto de maior valor agregado não é necessariamente o mais caro, é o de maior giro!

Empresário usando laptop.

5. Envolva os teus fornecedores no processo da economia

Seus fornecedores são seus parceiros, não os veja como inimigos!

Negociar um valor melhor ou até mesmo associá-los a ações de marketing, é uma boa estratégia para que tanto você quanto eles saiam ganhando.

Assim, no final, se você economiza com a compra de estoque, também estará ganhando neste quesito, não acha?

Empresário em reunião com fornecedora.

6. Estruture o seu processo de compras

Falando em compras, outro quesito no qual você deve se atentar é:

Defina um responsável para criar as ordens de compra.

Delegar é sempre uma opção viável.

E para fazer isso da melhor forma, crie indicadores que irão monitorar a eficiência do seu fluxo de trabalho.

7. Para mais economia, tenha mais de um orçamento em mãos

Os preços de compra variam bastante, você sabe disso!

Portanto, é importante que você tenha sempre mais de um orçamento.

Dessa forma, fica mais fácil comparar os preços de acordo com o que está ao alcance financeiro da empresa.

8. Identifique estoques de baixo giro

Estoques geram imobilização de caixa financeiro.

E é aí onde mora a importância de identificá-los.

Muitas empresas acabam por repor meses e meses, produtos que podem até ser considerados essenciais.

Mas que no final das contas, são na verdade um total prejuízo.

E aí? Gostando do nosso artigo?

A Alsol tem a melhor maneira de te ajudar com a economia da sua empresa.

Conheça agora ou clique aqui para conferir a segunda parte do artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>